pleaselikeme_programmingpage-3749145852

Please Like Me

Por Eduardo Carvalho.

Fim de semana chegando e é hora de escolher qual será a série para fazer maratona! Com esse tempo chuvoso, nada melhor do que fazer um estoque de gordices básico e se jogar no Netflix. Recentemente, durante as férias descobri Please Like, uma grata surpresa no emaranhado de títulos disponibilizados pelo serviço de streaming.

O núcleo principal da trama é composto por Josh, Tom e Claire, amigos desde o ensino médio. Josh e Claire, namorados de longa data, rompem por Claire perceber que Josh na verdade é gay.  Após o choque inicial do término e a “revelação” sobre sua sexualidade, Josh começa a dar seus primeiros passos no mundo gay. Em meio a suas dúvidas e questões, ele se envolve com Geoffrey e chega a constatação  que sua atração por homens não trata-se apenas de uma fase.

please-like-me

Em paralelo, a história apresenta seu núcleo familiar, com uma mãe que acabou de tentar o suicídio e precisa de assistência. Seu pai, que já constitui uma nova família com sua madrasta tailandesa e caricata,  é consumido pelo sentimento de culpa pela separação e tenta  de uma forma bem canastrona fazer parte de dua vida. Não posso deixar de mencionar sua tia louca, religiosa e extremamente preconceituosa, que mesmo com todos esses defeitos, tem um coração imenso (pode parecer paradoxal, mas se eu explicasse daria um spoiler … haha)

pleaselikeme

E como falar de temas tão sérios e conflituosos, sem deixar um clima denso e pesado? Com leveza e bom humor. Cinéfilo e seriemaníaco que sou, posso citar aqui uma infinidade de títulos com temática gay friendly que não conseguiram cumprir essa missão; filmes e séries com este viés tendem a ser passionais e melancólicos. Muitos costumam dizer que eles simplesmente retratam uma realidade, mas prefiro acreditar que as coisas não precisam ser assim. Please Like Me mostra que é possível falar do assunto sem recorrer a esta máxima.

PleaseLikeMe_840x529

A rapidez nas tiradas e uma pitada de acidez nos diálogos, típicos da Geração Z (os personagens têm por volta de 21 anos)  surpreendem. Os dilemas e questões vividas por Josh , Tom e Claire não ficam na superficialidade e se aprofundam, trazendo uma ótica diferente ao universo dos recém adultos. Separe a pipoca e aproveite as três temporadas disponíveis no Netflix!

josh-thomas-juco

Imagens: Reprodução.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *